Get Adobe Flash player

Velocidade no Asfalto

Miguel Laste, há 20 anos como piloto, ocupa pela primeira vez um cargo de dirigente (Foto: Vanderley Soares)

Miguel Laste, há 20 anos como piloto, ocupa pela primeira vez um cargo de dirigente (Foto: Vanderley Soares)

TOLEDO (PR) – O empresário e piloto Miguel Laste é o novo presidente do Automóvel Clube de Toledo. Laste substitui Victor Ficagna, que dirigiu o clube por três gestões.

O Automóvel Clube de Toledo será comandado por pilotos, uma vez que além do presidente Miguel Laste, piloto da categoria Marcas, o seu vice-presidente será João Eugênio “Nico” Pletch, piloto de arrancada. Ronald Luiz Andrioli ocupará o cargo de Tesoureiro; o preparador Eduardo Ferrari será o Diretor-Técnico, ao passo que Alexandre Rafael Pech será o Diretor de Patrimônio.

Esta será a primeira vez que Miguel Laste, de 56 anos, irá dirigir o Automóvel Clube de Toledo. Piloto há 20 anos, Laste sagrou-se campeão da categoria Marcas B no Campeonato Metropolitano de Marcas de Cascavel de 2016 e no ano passado conquistou o terceiro lugar na Cascavel de Ouro, tendo como parceiros os gêmeos Ricardo e Rodrigo Sperafico.

Segundo Miguel Laste, os próximos dois anos serão de muito trabalho, mas em reunião da nova diretoria, ficou determinando que todos os esforços estarão voltados para movimentar a arrancada, já que a cidade tem uma das melhores pistas de 401 metros da região Sul do Brasil. Outro ponto já definido também pela nova diretoria é a construção de um novo kartódromo em Toledo, agora na área reservada para a construção do Autódromo Rafael Sperafico, onde também já está a pista de arrancada.

A partir de agora, o objetivo é a realização de pelo menos duas reuniões virtuais por mês (Foto: Divulgação)

A partir de agora, o objetivo é a realização de pelo menos duas reuniões virtuais por mês (Foto: Divulgação)

CURITIBA (PR) – Sem competições em função da pandemia do coronavírus, os comissários desportivos e técnicos da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) se reuniram virtualmente terça-feira à noite. O primeiro encontro contou com a participação de 16 técnicos de Curitiba, Londrina, Rolândia, Foz do Iguaçu, Pato Branco e Cascavel. Também participaram da reunião o presidente Rubens Gatti e o vice-presidente Bento Tino.

A primeira reunião serviu para que os técnicos se ambientassem ao clima de reunião virtual. Já a partir da próxima passarão para um debate mais técnico, discutindo situações enfrentadas pelos comissários nas diferentes corridas realizadas no Paraná.

Rubens Gatti informa que a reunião foi muito proveitosa. “Sem competições, fizemos a reunião para unir os comissários e visa discutir situações e interpretações das normas para que as decisões sejam uniformes. Se não temos a prática no momento, vamos usar a tecnologia para quando voltarmos ao normal nossos técnicos estejam bem preparados”, completa Rubens Gatti.

Toda a área de circulação dos boxes foram higienizadas (Foto: Vanderley Soares)

Toda a área de circulação dos boxes foram higienizadas (Foto: Vanderley Soares)

A primeira corrida de caminhões foi disputada em Cascavel em 1987. Em 1994 Aurélio Batista Félix retomou às competições dos Bruttos com eventos testes novamente em Cascavel. E no último fim de semana o Paraná foi novamente pioneiro com a realização da primeira prova automobilística na era do coronavírus, com a etapa de abertura da temporada 2020 da Copa Truck. E tinha que ser em Cascavel, onde muitas  categorias nasceram.

Em todos estes fatos históricos, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) se fez presente, seguindo a cultura automobilística dos paranaenses. O presidente Rubens Gatti destaca que o Paraná sempre procura fazer o que é melhor para o esporte e assim foi com a retomada do automobilismo depois da paralisação em função da pandemia do coronavírus. “Desde que as corridas foram suspensas, estamos conversando com pilotos, promotores, patrocinadores, autoridades de saúde, discutindo formas de novamente fazermos automobilismo. Destes diálogos surgiram normas, que divulgamos através de portaria. A etapa de abertura da Copa Truck, no último fim de semana, foi um desafio, vencido por todos os envolvidos. Ficou comprovado que com protocolos rígidos, será possível realizamos corridas. Não será como antes, mas será o possível”, completa Gatti.

O evento

Todos os protocolos de cuidados com a saúde foram rigorosamente seguidos (Foto: Vanderley Soares)

Todos os protocolos de cuidados com a saúde foram rigorosamente seguidos (Foto: Vanderley Soares)

A etapa de abertura da temporada 2020 da Copa Truck teve duas provas, valendo pela Copa Cascavel, que classificou os três primeiros colocados para a Grande Final.

Na prova de sábado, a vitória foi do paranaense Wellington Cirino, com um Mercedes-Benz, enquanto que no domingo o vitorioso foi o pernambucano Beto Monteiro, com um Volkswagen.

Beto e Cirino terminaram a Copa com 38 pontos, mas o pernambucano levou a melhor por conta do regulamento, que aponta como critério de desempate o resultado da segunda corrida. André Marques foi o terceiro a garantir a vaga final para a Grande Final de dezembro.

A próxima etapa da Copa Truck será anunciada em breve e deverá ser realizada no mês de agosto em local ainda a definir.

 

O paranaense Wellington Cirino é o vencedor da primeira corrida da era coronavírus (Foto: Vanderley Soares)

O paranaense Wellington Cirino é o vencedor da primeira corrida da era coronavírus (Foto: Vanderley Soares)

Classificação final da Copa Cascavel

1°) Beto Monteiro, com 38 pontos

2°) Wellington Cirino, 38

3°) André Marques, 36

4°) Roberval Andrade, 35

5°) Débora Rodrigues, 28

6°) Renato Martins, 23

7°) Valdeno Brito, 20

8°) Rafael Lopes, 15

9°) Felipe Giaffone, 13

10°) Adalberto Jardim, 13

11°) Jô Augusto, 12

12°) Felipe Tozzo, 11

13°) Regis Boessio, 10

14°) Djalma Pivetta, 10

15°) Raphael Teixeira, 9

16°) Evandro Camargo, com 8 pontos

Fabio Fogaça, Leandro Totti, Paulo Salustiano e Luiz Lopes não pontuaram

 

Classificação do Campeonato das Montadoras

1°) Mercedes-Benz, com 80 pontos

2°) Volkswagen/MAN, 65

3°) Iveco, 23

4°) Volvo, com 10 pontos

Rubens Gatti conversa com autoridades de saúde dos municípios e do Governo buscando reabrir autódromos e kartódromos no Paraná (Foto: Vanderley Soares)

Rubens Gatti conversa com autoridades de saúde dos municípios e do Governo buscando reabrir autódromos e kartódromos no Paraná (Foto: Vanderley Soares)

CURITIBA (PR) – No momento em que diversos segmentos da economia começam o processo de reabertura em função da pandemia do coronavírus, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) mantém dialogo com autoridades de saúde e esportivas para a liberação dos autódromos e kartódromos do Paraná. Em um primeiro momento, as praças esportivas seriam liberadas para treinos e em seguida para competições, sem a presença do público.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, informa que está conversando com autoridades dos municípios e do governo do Paraná. Gatti destaca que a FPrA e a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) baixaram portarias normatizando como será a pratica do automobilismo que impossibilite a disseminação do coronavírus. Mas a volta das atividades só será possível com a autorização das autoridades de saúde dos municípios e do Estado. “Estamos levando informações a todos os municípios e a Secretaria de Saúde do Paraná. Tudo precisa ser feito com segurança, mas temos que buscar um retorno para que possibilite as classes trabalhadoras da cadeia do automobilismo voltarem a ter renda”, frisa Gatti.

Rubens Gatti também informa que em Cascavel, o Autódromo Zilmar Beux e o kartódromo Delci Damian já estão liberados para treinos há alguns dias. O Kartódromo Raceland Internacional, em Pinhais, região Metropolitana de Curitiba, também está aberto para treinos. Estas três praças seguem as determinações das autoridades de saúde e das portarias da FPrA e da CBA.  Até agora tudo tem funcionado bem. “Estamos trabalhando para também liberar os autódromos de Curitiba e Londrina e os kartódromos de todo o Estado. “O Kartódromo Luigi Borghesi, em Londrina, tem uma situação peculiar porque irá sediar a Copa Brasil, que foi adiada de outubro deste ano para fevereiro de 2021. Muitos pilotos e equipes buscam realizar treinos preparatórios, que podem ser feitos com medidas de distanciamento, como já estão sendo feitas em Cascavel e no Raceland”, completa Rubens Gatti.

Oficio FPrAAmparada pela Lei 20.189, decretada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador do Paraná Carlos Massa Ratinho Júnior, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), libera autódromos e kartódromos do Paraná, cabendo aos clubes e associações estabelecer as normas e seguir as orientações das autoridades de saúde dos municípios, do Estado e da União. A determinação foi comunicado aos clubes e associações filiadas à entidade, pelo oficio 08/20, assinado pelo presidente Rubens Gatti.

Segundo Rubens Gatti, com a Lei do Estado, que libera as atividades de oficinas mecânicas, será possível treinos e testes nas praças esportivas. Mas isto tem que sequer o que cada município determina. Ele acrescenta que a medida se faz necessário para permitir que todo o corpo técnico do automobilismo volte a trabalhar, minimizando o impacto social, pois toda a classe depende financeiramente deste trabalho. Os clubes estabelecerão as normais, procurando evitar aglomerações e com todas as exigências das autoridades de saúde”, diz Rubens Gatti, acrescentado que a FPrA continuará dialogando com as autoridades e atenta a todos os desdobramentos, até que as competições possam ser liberadas.

A CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), através de seu presidente Waldner Bernardo de Oliveira, o Dadai, baixou hoje a Portaria nº 02/2020, estabelecendo que caberá as Federações Estaduais decidirem sobre o reinicio das atividades automobilísticas nos estados, respeitando as leis Federais, Estaduais e Municipais.

 

Veja a integra do ofício da FPrA:

 

Para

CLUBES e ASSOCIAÇÕES filiados a FPRA

Ilmos. Srs. Presidentes.

Ref.: ATIVIDADES AUTOMOBILÍSTICAS.

 

A Federação Paranaense de Automobilismo – FPRA – por seu Presidente, Sr. Rubens Maurílio Gatti, ciente de que a atividade automobilística envolve centenas de preparadores, mecânicos e auxiliares cujas famílias dependem financeiramente destes para a sobrevivência, e por analogia estando liberada a atividade das oficinas mecânicas no Estado Paraná, decide liberar as atividades inerentes ao automobilismo no Estado, desde de que atendida toda e qualquer orientação ou determinação das autoridades da área da saúde, seja Federal, Estadual ou Municipal.

Assim, cada CLUBE ou ASSOCIAÇÃO ficará responsável pelo cumprimento das normas e ou procedimentos expedidos pelas autoridades acima mencionadas, evitando a disseminação da COVID-19.

Certos do cumprimento das normas por parte dos respectivos Clubes e Associações, subscrevemo-nos.

Atenciosamente,

Rubens Maurílio Gatti

Presidente

Portaria CBA

A Cascavel de Ouro é uma das provas que congestiona os boxes do Autódromo Zilmar (Foto: Vanderley Soares)

A Cascavel de Ouro é uma das provas que congestiona os boxes do Autódromo Zilmar (Foto: Vanderley Soares)

CASCAVEL (PR) – A 34ª Cascavel de Ouro, prevista para ser disputada no dia 1º de novembro, no Autódromo Zilmar Beux, em Cascavel, tem o regulamento homologado pela Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA). O documento está a disposição das equipes e pilotos, no site da entidade, no endereço: http://fpra.com.br/site/wp-content/uploads/2012/06/REGULAMENTO-DESPORTIVO-DA-34%C2%BA-CASCAVEL-DE-OURO-2020-V1.pdf

Este ano, além da Cascavel de Ouro, com três horas de duração, será disputada também a 1ª Cascavel de Prata, com duração de duas horas. A promoção é organização das duas provas são de Edson Massaro, com supervisão do Automóvel Clube de Cascavel e da Federação Paranaense de automobilismo (FPrA).

Poderão participar da Cascavel de Ouro veículos 1.6 fabricados a partir de janeiro de 2018. Já na Cascavel de Prata os participantes serão com carros fabricados até dezembro de 2017.

Inscrições

As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo sitewww.bibbos.com.br. O piloto seleciona o ícone “Inscrição da 34ª Cascavel de Ouro”, preenche o cadastro de compra, indica o número de parcelas desejado e finaliza o processo. O comprovante da operação (print de tela ou cópia dos dados apresentados pelo site) é enviado por e-mail para cascaveldeouro2020@gmail.com. A confecção da ficha de inscrição da dupla ou trio é feita em seguida.

As inscrições feitas entre 1º de abril e 30 de junho terão desconto de R$ 500,00. De 1º de julho a 30 de setembro, a inscrição será sem desconto, podendo ser parcelada até outubro. A partir de 1º de  outubro  o promotor terá a opção de aceitar ou não a inscrição, mediante o pagamento da taxa de R$ 6.000,00.

Já para a 1ª Cascavel de Prata, a taxa de inscrição será de R$ 4.000,00. Quem garantir participação até 30 de junho, terá um desconto de R$ 500,00. De 1º de julho a 30 de setembro, o valor será sem desconto, R$ 4.000,00, podendo ser parcelado até outubro. A partir de 1º de outubro, a taxa será de R$ 4.500,00, tendo o promotor a opção de aceitar ou não a inscrição.

Premiação

Além da cobiçada premiação em troféu, o ganhador da Cascavel de Ouro terá a premiação de R$ 100.000,00. Do segundo ou quinto colocado, o prêmio será de 50% da taxa de inscrição para a prova de 2021. Do sexto ao 10º, a premiação será de 10% da taxa de inscrição para a prova de 2021. O pole position ganha 50% da inscrição para 2021.

A premiação da 1ª Cascavel de Prata será de R$ 50.000,00 para o vencedor. Do segundo a quinto, colocado, 50% da taxa de inscrição para 2021; do sexto ao 10º, 10% da taxa de inscrição para 2021 e pole position, 50%.

Rubens Gatti diz que a indústria do automobilismo precisa proteger os preparadores (Foto: Mario Ferreira)

Rubens Gatti diz que a indústria do automobilismo precisa proteger os preparadores (Foto: Mario Ferreira)

CURITIBA (PR) – A pandemia do coronavírus bagunçou o Brasil do Oiapoque o Chuí, forçou milhões de brasileiros a ficarem em casa e o governo trabalha para diminuir o impacto na economia, preservar emprego e garantir que as classes que ficaram sem renda durante o período de quarentena recebam auxilio financeiro do governo.

O automobilismo foi uma das primeiras modalidades esportivas a suspender as competições. Assim, os preparadores estão sem trabalho desde o início do ano. Eles são considerados por Rubens Gatti, presidente da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), os mais prejudicados da “cadeia” do automobilismo.

Nas corridas de kart, um “exército” de preparadores atua nos bastidores e à beira da pista (Foto: Mario Ferreira)

Nas corridas de kart, um “exército” de preparadores atua nos bastidores e à beira da pista (Foto: Mario Ferreira)

Para Rubens Gatti, o automobilismo é ma indústria sem chaminé, que precisa proteger os preparadores. Será importante que as competições sejam retomadas tão logo as autoridades de saúde digam que não há a risco à saúde com aglomerações. “Os preparadores estão para o automobilismo como os mestres de obras estão para a construção cível. Sem eles não há atividade. São fundamentais para o esporte e são os que estão mais sofrendo com esta crise. Teremos que retomar os campeonatos tão logo seja possível”, afirma Rubens Gatti.

Rubens Gatti diz que o automobilismo gera muito empregos e os preparadores representam mais de 50% da força de trabalho. “Se o Brasil tem mais de 8 mil pilotos registrados na CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), existe praticamente o mesmo número de preparadores.  Levando por base que cada preparador tem em média dois colaboradores, são três famílias que vivem do automobilismo por cada piloto. Acrescentando os casados e com filhos, poderemos ter mais de 10 pessoas que depende do automobilismo por cada piloto. É muita gente e teremos que buscar uma forma de protegê-los porque são os mais afetados nesta crise”, diz Gatti.

Gatti também destaca que os preparadores são pessoas apaixonadas pelo automobilismo, mas diante da crise e com a necessidade de sustentar suas famílias, muitos poderão partir para outros segmentos e o esporte poderá perder muitos profissionais. “Hoje já há uma carência de preparadores. Se perdemos profissionais será muito ruim para o automobilismo. Um bom preparador não é formado do dia para a noite. Leva anos”, finaliza Rubens Gatti.

Rubens Gatti diz que todos campeonatos previstos para a temporada 2020 serão mantidos (Foto: Vanderley Soares)

Rubens Gatti diz que todos campeonatos previstos para a temporada 2020 serão mantidos (Foto: Vanderley Soares)

CURITIBA (PR) – Com a paralisação de todas as competições automobilísticas em função da pandemia do coronavírus, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) irá refazer o calendário de todas as categorias do automobilismo paranaense. Todos os campeonatos previstos serão mantidos.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, explica que o ajuste de datas para um novo calendário será feito tão logo seja definido o calendário das categorias nacionais. “Vamos esperar a definição das categorias nacionais e estudarmos as datas restantes. Muitos paranaenses participam das categorias nacionais e também sediamos muitas provas nacionais. Em alguns casos, poderemos ter programação conjunta”, frisa Gatti.

Gatti também adianta que a diretoria da FPrA tomou a decisão de que todos os campeonatos previstos para a temporada 2020 serão realizados. Em alguns casos o número de etapas poderá diminuir. “Vamos dialogar com os clubes, pilotos, promotores e chegaremos ao ponto que será melhor para todos”, enfatiza Rubens Gatti.

 

Campeonatos previstos para a temporada 2020 no Paraná

Kart

Campeonato Paranaense de Kart – Curitiba

Campeonato Paranaense de Kart Light – Londrina

Open da Copa Brasil de Kart – Londrina

Campeonato Metropolitano de Kart de Cascavel

Campeonato Citadino de Kart de Foz do Iguaçu

Campeonato Metropolitano de Kart de Rio Negro

Copa Super Paraná de Kart – Curitiba

Copa Paraná de Kart – Cascavel

Campeonato Pato-branquense de Kart

Provas festivas

 

Rali

Campeonato Paranaense de Rali

 

Velocidade na Terra

Campeonato Metropolitano de São José dos Pinhais

Campeonato Paranaense

 

Velocidade no Asfalto

Campeonato Paranaense – Curitiba – Londrina – Cascavel

Campeonato de Metropolitano de Curitiba

Copa de Cascavel – Três etapas

Campeonato Metropolitano de Londrina

 

Arrancada

Campeonato Paranaense de Arrancada na Terra

Copa Paraná de Arrancada na Terra

Provas festivas na Terra em São Mateus do Sul e Ponta Grossa

Campeonato Paranaense de Arrancada de 201 Metros

 

Provas longas

Cascavel de Ouro

500 Milhas de Londrina

A categoria Turismo B começa o ano com 29 pilotos no grid (Foto: Bispo Neto)

A categoria Turismo B começa o ano com 29 pilotos no grid (Foto: Bispo Neto)

O Campeonato Metropolitano de Velocidade de Curitiba teve um bom início de temporada. A primeira etapa de 2020 foi disputada neste fim de semana, no Autódromo Internacional de Curitiba (AIC), em Pinhais, região Metropolitana da Capital Paranaense. Com bons pegas, foram disputadas as categorias Marcas “A” e “B”, Turismo “A”, “B” e “C”, e Clássicos (Força Livre), com organização e promoção da M & L Produções Artísticas Ltda, e supervisão da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA).

Durante os Treinos Classificatórios que definiram os grids de largada, os três primeiros por categoria foram: MARCAS “A” – 1º) Wanderlei Berlanda Jr (SC), 1m40s495; 2º) Ruslan Carta Filho (PR), 1m40s669; 3º) Duda Bana (PR), 1m41s012. MARCAS “B” – 1º) Nilton Rossoni Filho (PR), 1m41s010; 2º) Rafael Balestrin (PR), 1m41s139; 3º) Alexandre Bastos (SC), 1m41s491. TURISMO “A” – 1º) Andrei Carta/Ruslan Carta Filho (PR), 1m41s704; 2º) Mário Broering (SC), 1m42s022; 3º) José Pederneiras (PR), 1m42s163. TURISMO “B” – 1º) Marcelo Cancelli/Edson Dall Asta (PR), 1m42s693; 2º) Maycon de Oliveira (PR), 1m43s023; 3º) Elton Oliveira (PR), 1m43s192. TURISMO “C” – 1º) Roberto Bonato/Evandro Maldonado (PR), 1m43s788; 2º) Christian Pampuch (PR), 1m44s526; 3º) Rodrigo Tassi/Rafael Colombari (PR), 1m44s836. CLÁSSICOS FORÇA LIVRE – 1º) Armin Kliewer (PR), 1m35s372; 2º) Richard Heidrich (PR), 1m35s982; 3º) Anderson Andrade (SC), 1m37s149.

Clássicos

A categoria Clássicos começou com vitórias de Armin Kliewer nas duas provas da primeira etapa (Foto: Bispo Neto)

A categoria Clássicos começou com vitórias de Armin Kliewer nas duas provas da primeira etapa (Foto: Bispo Neto)

A Primeira Prova das categorias Clássicos aconteceu às 17h30 do sábado, para 25 minutos, mais duas voltas de prova. O Omega de Richard Heidrich quebrou o motor durante o Treino Classificatório e não participou da primeira prova, mas amanhã vai participar da segunda corrida da categoria. Armin Kliewer largou na pole position e venceu de ponta a ponta a primeira corrida, sofrendo pressão somente nas primeiras voltas. Wanderlei Berlanda ficou as duas primeiras voltas em segundo lugar, depois perdeu a posição para Anderson Andrade, que chegou a liderar na décima volta, mas teve problemas e abandonou a corrida. Ao fim de 17 voltas, a vitória foi de Armin Kliewer, com o tempo total de 28min38s526, seguido de Wanderlei Berlanda, a 0s158, Maurício Gaudêncio, a 13s064, Alex Sandre Morais, a 1m34s487, e em quinto lugar Jorge Lorentz, a uma volta.

A segunda prova dos Clássicos largou às 12 horas do domingo, com Armin Kliewer largando mais uma vez na pole position, mantendo a liderança por duas voltas, quando foi superado por Richard Heidrich, que largou da sétima e última posição, que assumiu a primeira posição e a manteve até a bandeirada final. O carro da dupla Jorge Lorentz/Bailo Neto abandonou a prova com oito voltas completadas. Após 18 voltas, a vitória foi de Richard Heidrich, com o tempo total de 28min52s928, tendo Armin Kliewer em segundo, a 0s429, Anderson Andrade em terceiro, a 38s126, Maurício Gaudêncio em quarto, a 1m19s774, e, Alex Sandre Morais em quinto, a 1m27s492. A volta mais rápida das provas disputadas foi de Rechard Heidrich, na 4ª passagem da segunda corrida, com o tempo de 1m35s009, à média de 140,008 km/h.

Turismo “B”

A categoria Terra Turismo teve a primeira prova realizada às 9h15, com 29 participantes, para 30 minutos mais duas voltas. Marcelo Cancelli, que largou na pole position, manteve a liderança até a bandeirada final, deixando a briga pela segunda, terceira e quarta posições, entre Maycon de Oliveira, Elton de Oliveira e Sérgio Bucco. Fernando Zatta, Igor Waczyleski e Juliano Zatta abandonaram na quinta volta com problemas técnicos, mesma situação enfrentada por Felipe Baum, que abandonou na sexta volta, e, Evandro Athayde e Eduardo Moratelli abandonaram na sétima volta. Depois de 16 voltas, vitória de Marcelo Cancelli, com tempo total de 33m36s255, vindo a seguir Elton de Oliveira, a 0s609; Sérgio Bucco, a 2s963; Emerson Szwed, a 4s064; e, Marcelo Kroth, a 4s431.

A segunda prova das categorias Terra também foi muito movimentada, indo à pista às 13h40, com boas disputas do início ao fim da corrida. Ezequiel Dall Asta largou na pole, mas foi superado na primeira volta por Elton de Oliveira, seguidos de perto por Emerson Szwed, Sérgio Bucco e Marcelo Kroth. Os carros de Luciano Fracaro, Evandro Athayde e Juliano Zatta se acidentaram na primeira corrida e não participaram da segunda prova. Sérgio Bucco abandonou na terceira volta após grave acidente e Edimarcos Caliari abandonou na oitava volta. Ao fim de 11 voltas, a vitória foi de Elton de Oliveira, com tempo total de 28m56s038, vindo a seguir Ezequiel Dall Asta, a 1s210; Maycon de Oliveira, a 2s110; Gustavo dos Santos, a 2s870; e, Nilton da Silva, a 3s618. Marcelo Cancelli marcou a volta mais rápida das provas disputadas, na 4ª passagem da primeira corrida, com tempo de 1m41s888, à média de 130,555 km/h.

Marcas “A” e “B” –

Mais uma vez as categorias Marcas A e B mostram alto nível e expectativa de uma temporada disputadíssima (Foto: Bispo Neto)

Mais uma vez as categorias Marcas A e B mostram alto nível e expectativa de uma temporada disputadíssima (Foto: Bispo Neto)

A primeira prova das categorias Marcas “A” e “B”, com 21 participantes, teve largada às 10h10 deste domingo, realizando uma corrida muito disputada nas duas categorias. O pole position Wanderlei Berlanda Júnior manteve a liderança na primeira volta, seguido de perto por Ruslan Carta Filho, Rafael Balestrin, Nilton Rossoni Filho, Gustavo Magnabosco e Brendon Gabardo. Karl Rauscher abandonou na primeira volta, Rodrigo Vieira na terceira, Alexandre Bastos na quinta, Gustavo Dal Pizzol na sétima, Duda Bana na oitava, Brendon Gabardo na décima, Gustavo Magnabosco na 12ª e Nilton Rossoni Filho na 14ª volta, todos com problemas técnicos e abandonaram a corrida. Depois de 18 voltas, a vitória na Geral e na Marcas “B” foi de Rafael Balestrin com tempo total de 35m33s078, seguido de Lúcio Seidel, a 9s308; Ozias da Silveira Jr, a 14s336; Geison Turek, a 20s025; e, Emerson Grochoski, a 20s093. Na Marcas “A” venceu Ruslan Carta Filho, com tempo total de 35m33s528, vindo a seguir Edson Bueno, a 3s116; Pierre Sabbagh, a 3s346; Ricardo Hilgenstieler, a 4s520; e, Rafael Bastos, a 5s985.

Na segunda prova das categorias Marcas “A” e “B”, que aconteceu às 14h40 também muito disputada, com os pilotos dando show na “briga” por melhores posições na pista. Na largada, Rafael Balestrin que largou na pole manteve a liderança na primeira volta, seguido de Ruslan Carta Filho, Eduardo Pavelski, Ricardo Hilgenstieler e Pierre Sabbagh. Boa disputa entre Balestrin, Carta e Berlanda pela primeira posição. Antonio Carvalho e Nilton Rossoni Filho abandonaram na primeira volta, Gustavo Magnabosco na sexta, Eduardo Pavelski na sétima, Rafael Balestrin na 11ª e Alexandre Bastos na 12ª, também abandonaram. Após 20 voltas, a vitória foi de Ruslan Carta Filho na Geral e na Marcas “A”, com tempo total de 34m01s929, com Ricardo Hilgenstieler em segundo, a 7s625; Wanderlei Berlanda Jr em terceiro, a 7s909; Pierre Sabbagh em quarto, a 8s221; e, Rafael Bastos em quinto, a 13s856. Na Marcas “B” venceu Lúcio Seidel com tempo total de 34m33s577, seguido de Karl Rauscher, a 4s605, Ozias da Silveira Jr, a 28s849; Geison Turek, a 42s662; e, Emerson Grochoski, a uma volta. A volta mais rápida das duas provas realizadas foi de Wanderlei Berlanda Jr, na quarta passagem da primeira corrida, com o tempo de 1m39s906, à média de 133.145 km/h.

Turismo “A” e “C”-

As categorias Turismo A e C iniciam a temporada com excelente grid (Foto: Bispo Neto)

As categorias Turismo A e C iniciam a temporada com excelente grid (Foto: Bispo Neto)

Reunindo as categorias Terra Turismo “A” e Turismo “C”, com 20 participantes, a primeira prova aconteceu às 11h05, para 30 minutos mais duas voltas. Andrei Carta que largou na pole position manteve a liderança na primeira volta, seguido de José Pederneiras, Mário Broering, Rafael Lupatini e Jorge Silva. Marcelo Oliveira Filho abandonou na primeira volta com problemas técnicos, mesma situação enfrentada por Rogério Marqueto, que abandonou na terceira volta. Depois de 18 voltas, vitória de Jorge Silva na Geral e na Turismo “A”, com tempo total de 34m03s234, vindo a seguir José Pederneiras, a 0s482; Mário Broering, a 5s246; Andrei Carta, a 13s027; e, Juliano Diener, a 37s506. E na Turismo “C”, vitória de Evandro Maldonado, com tempo de 34m56s820, seguido de Rodrigo Tassi, a 1s135; Arlei Tucholski, a 21s624; Gustavo Simão, a 25s816, e, Christian Pampuch, a 29s107.

A segunda prova das categorias Turismo “A” e “C” também foi muito movimentada, indo à pista às 15h40, com boas disputas do início ao fim da corrida. Jorge Silva largou na pole e manteve a posição durante a primeira volta, seguido de perto por José Pederneiras, Mário Broering e Ruslan Carta Filho. A prova teve três líderes diferentes com Jorge Silva, Mário Broering e José Pederneiras se revezando na ponta. Alexandre Martins e Ruslan Carta Filho com problemas e abandonaram com uma volta. Rafael Lupatini e Cláudio Tucholski com cinco, Roberto Bonato com seis, Christian Pampuch com sete e Marcelo Cordeiro com nove voltas, também abandonaram a corrida. Ao fim de 17 voltas, nova vitória de José Pederneiras na Geral e na Turismo “A”, com tempo total de 34m50s300, vindo a seguir Diener Filho, a 6s277; Mário Broering, a 12s752; Jorge Silva, a 17s489; e, João Fugati, a 53s926. E na Turismo “C” a vitória foi de Rafael Colombari, com tempo de 35m01s761, seguido de Luiz Brambila, Marcelo Oliveira Filho, Gustavo Simão, e, Ralf Berger. Andrei Carta marcou a volta mais rápida das provas disputadas, na 19ª passagem da primeira corrida, com tempo de 1m41s564, à média de 130,972 km/h.

A segunda etapa do Campeonato Curitibano de Velocidade 2020 está marcada para os dias 18 e 19 de abril, no AIC, válida também pela segunda etapa do Paranaense de Velocidade no Asfalto 2020.

 

 

O Metropolitano de Velocidade de Curitiba de 2020 começa com bom número de carros na pista (Foto: Bispo Neto)

O Metropolitano de Velocidade de Curitiba de 2020 começa com bom número de carros na pista (Foto: Bispo Neto)

Os treinos classificatórios da tarde de hoje definiram o grid de largada de todas as categorias da etapa de abertura do Campeonato Paranaense de Velocidade de Curitiba. A prova será disputada no Autódromo Internacional de Curitiba (AIC), com 75 carros, divididos nas categorias Marcas “A” e “B”, Turismo “A”, “B” e “C”, e Clássicos (Força Livre). A promoção e organização são da M & L Produções Artísticas Ltda, com supervisão da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA).

Durante os Treinos Classificatórios que definiram os grids de largada, os cinco primeiros por categoria foram: MARCAS “A” – 1º) Wanderlei Berlanda Jr (SC), 1m40s495; 2º) Ruslan Carta Filho (PR), 1m40s669; 3º) Duda Bana (PR), 1m41s012; 4º) Davi/Gustavo Dal Pizzol (SC), 1m41s146; e 5º) Antonio Carvalho/Brendon Zonta Gabardo (PR), 1m41s314. MARCAS “B” – 1º) Nilton Rossoni Filho (PR), 1m41s010; 2º) Rafael Balestrin (PR), 1m41s139; 3º) Alexandre Bastos (SC), 1m41s491; 4º) Lúcio Seidel (SC), 1m42s088; e 5º) Emerson/Leonardo Grochoski (PR), 1m42s215. TURISMO “A” – 1º) Andrei Carta/Ruslan Carta Filho (PR), 1m41s704; 2º) Mário Broering (SC), 1m42s022; 3º) José Pederneiras (PR), 1m42s163; 4º) Jorge Silva (PR), 1m42s785; e 5º) Rafael Lupatini (PR), 1m43s586. TURISMO “B” – 1º) Marcelo Cancelli/Edson Dall Asta (PR), 1m42s693; 2º) Maycon de Oliveira (PR), 1m43s023; 3º) Elton Oliveira (PR), 1m43s192; 4º) Marcelo Kroth (SC), 1m43s197; e 5º) Sérgio Bucco (PR), 1m43s253. TURISMO “C” – 1º) Roberto Bonato/Evandro Maldonado (PR), 1m43s788; 2º) Christian Pampuch (PR), 1m44s526; 3º) Rodrigo Tassi/Rafael Colombari (PR), 1m44s836; 4º) Marcelo Oliveira Filho (PR), 1m44s857; e 5º) Arlei/Cláudio Tucholski (PR), 1m45s617. CLÁSSICOS FORÇA LIVRE – 1º) Armin Kliewer (PR), 1m35s372; 2º) Richard Heidrich (PR), 1m35s982; 3º) Anderson Andrade (SC), 1m37s149; 4º) Maurício Gaudêncio (PR), 1m38s831; e 5º) Wanderlei Berlanda (SC), 1m40s122.

Clássicos

A Primeira Prova das categorias Clássicos aconteceu às 17h30 deste sábado, para 25 minutos, mais duas voltas de prova. O Omega de Richard Heidrich quebrou o motor durante o Treino Classificatório e não participou da primeira prova, mas amanhã vai participar da segunda corrida da categoria. Armin Kliewer largou na pole position e venceu de ponta a ponta a primeira corrida, sofrendo pressão somente nas primeiras voltas. Wanderlei Berlanda ficou as duas primeiras voltas em segundo lugar, depois perdeu a posição para Anderson Andrade, que chegou a liderar na décima volta, mas teve problemas e abandonou a corrida. Ao fim de 17 voltas, a vitória foi de Armin Kliewer, com o tempo total de 28min38s526, seguido de Wanderlei Berlanda, a 0s158, Maurício Gaudêncio, a 13s064, Alex Sandre Morais, a 1min34s487, e em quinto lugar Jorge Lorentz, a uma volta. A volta mais rápida da prova foi de Armin Kliewer, na 15ª passagem, com o tempo de 1m35s247, à média de 139,658 km/h.

Programação –

As atividades no domingo (8/3) iniciam às 8 horas com os warm ups de todas as categorias até as 8h55. A primeira categoria a ir para a pista do AIC é a Turismo “B”, às 9h15 para a primeira prova (30 minutos de prova + 2 voltas). Às 10h10 larga a primeira prova das categorias Marcas “A” e “B” (30 minutos + 2 voltas). Às 11h05 larga a primeira prova das categorias Turismo “A” e “C” (30 minutos + 2 voltas). E às 12 horas larga a segunda corrida das categorias Clássicos (25 minutos + 2 voltas). Das 12h35 às 13h15, horário do almoço. A segunda prova da categorias Turismo “B” será às 13h40. Na sequencia, segunda prova das categorias Marcas “A” e “B”, às 14h40. E encerrando com as categorias Turismo “A” e “C”, às 15h40. O pódio de todas as categorias do Curitibano de Velocidade no Asfalto 2019 acontece a partir das 16h15.

marcaspr

brkart

prterra

rali5

arrancadapr402

agosto 2020
S T Q Q S S D
« jul    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
2ª Etapa – Turismo 5000 – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba – 2017
2ª Etapa – Turismo – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
2ª Etapa – Marcas – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Marcas – Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Turismo – Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Turismo 5000 – Paranaense + Metropolitano Curitiba – 2017

 

Mais Vídeos Clique AQUI!