Get Adobe Flash player

Outras

Rubens Gatti diz que a indústria do automobilismo precisa proteger os preparadores (Foto: Mario Ferreira)

Rubens Gatti diz que a indústria do automobilismo precisa proteger os preparadores (Foto: Mario Ferreira)

CURITIBA (PR) – A pandemia do coronavírus bagunçou o Brasil do Oiapoque o Chuí, forçou milhões de brasileiros a ficarem em casa e o governo trabalha para diminuir o impacto na economia, preservar emprego e garantir que as classes que ficaram sem renda durante o período de quarentena recebam auxilio financeiro do governo.

O automobilismo foi uma das primeiras modalidades esportivas a suspender as competições. Assim, os preparadores estão sem trabalho desde o início do ano. Eles são considerados por Rubens Gatti, presidente da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), os mais prejudicados da “cadeia” do automobilismo.

Nas corridas de kart, um “exército” de preparadores atua nos bastidores e à beira da pista (Foto: Mario Ferreira)

Nas corridas de kart, um “exército” de preparadores atua nos bastidores e à beira da pista (Foto: Mario Ferreira)

Para Rubens Gatti, o automobilismo é ma indústria sem chaminé, que precisa proteger os preparadores. Será importante que as competições sejam retomadas tão logo as autoridades de saúde digam que não há a risco à saúde com aglomerações. “Os preparadores estão para o automobilismo como os mestres de obras estão para a construção cível. Sem eles não há atividade. São fundamentais para o esporte e são os que estão mais sofrendo com esta crise. Teremos que retomar os campeonatos tão logo seja possível”, afirma Rubens Gatti.

Rubens Gatti diz que o automobilismo gera muito empregos e os preparadores representam mais de 50% da força de trabalho. “Se o Brasil tem mais de 8 mil pilotos registrados na CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), existe praticamente o mesmo número de preparadores.  Levando por base que cada preparador tem em média dois colaboradores, são três famílias que vivem do automobilismo por cada piloto. Acrescentando os casados e com filhos, poderemos ter mais de 10 pessoas que depende do automobilismo por cada piloto. É muita gente e teremos que buscar uma forma de protegê-los porque são os mais afetados nesta crise”, diz Gatti.

Gatti também destaca que os preparadores são pessoas apaixonadas pelo automobilismo, mas diante da crise e com a necessidade de sustentar suas famílias, muitos poderão partir para outros segmentos e o esporte poderá perder muitos profissionais. “Hoje já há uma carência de preparadores. Se perdemos profissionais será muito ruim para o automobilismo. Um bom preparador não é formado do dia para a noite. Leva anos”, finaliza Rubens Gatti.

Rubens Gatti diz que todos campeonatos previstos para a temporada 2020 serão mantidos (Foto: Vanderley Soares)

Rubens Gatti diz que todos campeonatos previstos para a temporada 2020 serão mantidos (Foto: Vanderley Soares)

CURITIBA (PR) – Com a paralisação de todas as competições automobilísticas em função da pandemia do coronavírus, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) irá refazer o calendário de todas as categorias do automobilismo paranaense. Todos os campeonatos previstos serão mantidos.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, explica que o ajuste de datas para um novo calendário será feito tão logo seja definido o calendário das categorias nacionais. “Vamos esperar a definição das categorias nacionais e estudarmos as datas restantes. Muitos paranaenses participam das categorias nacionais e também sediamos muitas provas nacionais. Em alguns casos, poderemos ter programação conjunta”, frisa Gatti.

Gatti também adianta que a diretoria da FPrA tomou a decisão de que todos os campeonatos previstos para a temporada 2020 serão realizados. Em alguns casos o número de etapas poderá diminuir. “Vamos dialogar com os clubes, pilotos, promotores e chegaremos ao ponto que será melhor para todos”, enfatiza Rubens Gatti.

 

Campeonatos previstos para a temporada 2020 no Paraná

Kart

Campeonato Paranaense de Kart – Curitiba

Campeonato Paranaense de Kart Light – Londrina

Open da Copa Brasil de Kart – Londrina

Campeonato Metropolitano de Kart de Cascavel

Campeonato Citadino de Kart de Foz do Iguaçu

Campeonato Metropolitano de Kart de Rio Negro

Copa Super Paraná de Kart – Curitiba

Copa Paraná de Kart – Cascavel

Campeonato Pato-branquense de Kart

Provas festivas

 

Rali

Campeonato Paranaense de Rali

 

Velocidade na Terra

Campeonato Metropolitano de São José dos Pinhais

Campeonato Paranaense

 

Velocidade no Asfalto

Campeonato Paranaense – Curitiba – Londrina – Cascavel

Campeonato de Metropolitano de Curitiba

Copa de Cascavel – Três etapas

Campeonato Metropolitano de Londrina

 

Arrancada

Campeonato Paranaense de Arrancada na Terra

Copa Paraná de Arrancada na Terra

Provas festivas na Terra em São Mateus do Sul e Ponta Grossa

Campeonato Paranaense de Arrancada de 201 Metros

 

Provas longas

Cascavel de Ouro

500 Milhas de Londrina

O prefeito Márcio Artur de Mattos assina a Ordem de Serviço na presença de Rubens Gatti, Gian Pasquali e dirigentes do Automóvel Clube de Telêmaco Borba (Foto: Divulgação)

O prefeito Márcio Artur de Mattos assina a Ordem de Serviço na presença de Rubens Gatti, Gian Pasquali e dirigentes do Automóvel Clube de Telêmaco Borba (Foto: Divulgação)

CURITIBA (PR) – Depois de quatro anos fora do calendário da Velocidade na Terra, Telêmaco Borba voltará as viver as emoções do automobilismo. Após vistoria da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) e da FPrA (Federação de Automobilismo do Paraná), na última quinta-feira (12), o prefeito Márcio Artur de Matos assinou a Ordem de Serviço para que sejam iniciadas as obras da construção do autódromo de terra da cidade. Serão investidos R$ 500 mil e a previsão da entrega da obra é para o fim deste ano.

A CBA foi representada na vistoria por Gian Pasquali, presidente da Comissão Nacional de Velocidade na Terra, e a FPrA por seu presidente Rubens Gatti. Também participaram da solenidade de assinatura da Ordem de Serviço Luiz Santos Camargo, secretario de Obras da Prefeitura de Telêmaco Borba e presidente do Automóvel Clube e Telêmaco Borba; e Amauri de Jesus Soares, piloto da cidade.

Situado na região dos Campos Gerais e a 235 quilômetros de Curitiba, Telêmaco Borba se destacou por muitos anos como pólo da velocidade na terra no Paraná. Nos últimos quatro anos deixou de realizar competições porque foi dada outra destinação a área em que estava o autódromo. Agora com um autódromo novo, em uma especifica para a pratica esportiva, a expectativa é de que a cidade volte a revelar talentos para o esporte motor do Paraná e do Brasil.

Luiz Santos Camargo mostra a Rubens Gatti a área onde será construído o autódromo de Telêmaco Borba (foto: Divulgação)

Luiz Santos Camargo mostra a Rubens Gatti a área onde será construído o autódromo de Telêmaco Borba (foto: Divulgação)

Rubens Gatti, presidente da FPrA, destaca o trabalho de Luiz Santos Camargo à frente do Automóvel Clube de Telêmaco Borba e o apoio do prefeito Márcio Artur de Matos ao automobilismo, uma vez que o autódromo irá beneficiar toda uma região e atrair para Telêmaco Borba pilotos de todo o Brasil, uma vez que o novo autódromo estará nos padrões exigidos para sediar competições nacionais. “Temos que enaltecer a iniciativa do prefeito e dizer que além do automobilismo, a economia da cidade ganhará muito com o autódromo”, completa Rubens Gatti.

 

 

 

 

 

PortariaEm portaria assinada pelo presidente Rubens Gatti, divulgada hoje (segunda-feira), a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) suspendeu todas as provas de automobilismo a serem realizadas no Paraná por tempo indeterminado em função da pandemia de coronavírus.

A portaria da FPrA antecipou-se ao decretado do governador Ratinho Massa, publicado no fim do dia, proibindo a realização eventos em todo o estado, incluindo os esportivos.

Seja a integra da portaria da FPrA:

 

COMUNICADO Nº 01 DE 16 DE MARÇO DE 2020

O PRESIDENTE da FEDERAÇÃO PARANAENSE

DE AUTOMOBILISMO – FPRA, no uso de suas atribuições Estatutárias,

diante da necessidade do combate à propagação do coronavírus, COVID-19, e atendendo as determinações do Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde e a Portaria nº 01 expedida pela Confederação Brasileira de Automobilismo – CBA, em anexo, COMUNICA que todos os eventos

automobilísticos no Estado do Paraná, a partir desta data, estão suspensos por prazo indeterminado até segunda ordem.

Portanto, qualquer evento automobilístico que venha ser realizado Estado do Paraná, neste período, será considerado como “PROVA NÃO AUTORIZADA” por esta entidade, respondendo o Clube ou seu

Promotor, civil e criminalmente por seu ato.

Rubens Maurílio Gatti

Presidente

PetecoCom pesar, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) comunica o falecimento do empresário e desportista Jauvenal de Oms, o Peteco. Ele presidia o Conselho de Administração da Inepar e era dono do Autódromo Internacional de Curitiba.

O velório de Peteco está sendo realizado na Capela 4 do Cemitério Água Verde e o sepultamento será neste domingo, às 10 horas, no Cemitério Municipal da Água Verde.

Em 2007 Peteco foi premiado com o Troféu Moura Brito, láurea que homenageia personalidades que contribui para o crescimento do automobilismo paranaense.

Rubens Gatti recebe o reconhecimento do seu trabalho pelos clubes e foi reeleito por aclamação para os próximos quatro anos (Foto: Mario Ferreira)

Rubens Gatti recebe o reconhecimento do seu trabalho pelos clubes e foi reeleito por aclamação para os próximos quatro anos (Foto: Mario Ferreira)

CURITIBA (PR) – Rubens Gatti foi reeleito presidente da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA). A eleição foi realizada hoje (sexta-feira), na sede da entidade em Curitiba. Dos 31  clubes com direito a voto, 15 compareceram e por escolha do plenário, decidiram que Gatti seria reeleito por aclamação para o quadriênio 2018/2012.  A posse da nova diretoria será marcada para janeiro, podendo ser até o dia 30 de janeiro.

A nova diretoria ficará assim: Rubens Maurílio Gatti (Rolândia), presidente; Valmor Weiss (Curitiba), vice-presidente; e Bento Tino Cesca (Foz do Iguaçu), segundo vice-presidente. O Conselho Fiscal será composto por Roberto César Cirino (Francisco Beltrão), Delcio Bertasso (Apucarana) e Nelson Fernandes (Londrina). Os dois suplementes do Conselho Fiscal serão Rui Amauri Gatti (Rolândia) e Fernando Duarte (Londrina).

Já reeleito, Rubens Gatti agradeceu a confiança dos clubes em sua gestão, afirmando que toda a diretoria e sua equipe se desdobrarão para enfrentar os desafios que virão nos próximos quatro anos, torcendo para que a economia do País tenha uma recuperação rápida para que o automobilismo volte a receber investimento de patrocinadores.

Bento Tino, Rubens Gatti e Valmor Weiss encabeçam a chapa única para o pleito desta sexta-feira (Foto: Mario Ferreira)

Bento Tino, Rubens Gatti e Valmor Weiss encabeçam a chapa única para o pleito desta sexta-feira (Foto: Mario Ferreira)

CURIITBA (PR) – O automobilismo do Paraná vive a democracia e nesta sexta-feira os clubes estarão reunidos para eleger a nova diretoria Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) para o próximo quadriênio. O pleito será na sede da entidade, à rua Engenheiro Niepece da Silva, nº 100, em Curitiba. A primeira chamada está marcada para as 18 horas e, a segunda, se necessária, às 19 horas.

A Chapa União e Trabalho é a única inscrita para o pleito, tendo o atual presidente Rubens Maurílio Gatti como candidato a reeleição. A composição da chapa é a seguinte: presidente, Rubens Maurílio Gatti (Rolândia); vice-presidente, Valmor Weiss (Curitiba); e segundo vice-presidente, Bento Tino Cesca (Foz do Iguaçu). O Conselho Fiscal será composto por Roberto César Cirino (Francisco Beltrão), Delcio Bertasso (Apucarana) e Nelson Fernandes (Londrina).

O Troféu Moura Brito 2018 vai para Affonso Ebbers (póstumo), Ricardo Voigt, Rubens Gatti e Osmar “Lagarto” Sorbara (Mario Ferreira)

O Troféu Moura Brito 2018 vai para Affonso Ebbers (póstumo), Ricardo Voigt, Rubens Gatti e Osmar “Lagarto” Sorbara (Mario Ferreira)

CURITIBA (PR) – Rubens Gatti, na categoria Incentivador; Osmar “Lagarto” Sorbara, na Preparador; e Ricardo Augusto “Meningite” Voigt, na categoria Piloto, são os premiados do Troféu Moura Britto em 2018. Também houve uma homenagem especial póstuma ao preparador e ex-piloto Affonso Eberhard Ebbers, de Curitiba.

A solenidade, seguida de coquetel, foi ontem (quarta-feira) à noite, no Graciosa Country Clube, em Curitiba, e foi prestigiada por mais de uma centena de personalidades do automobilismo paranaense, entre pilotos, ex-pilotos, dirigentes, preparadores, imprensa e autoridades da Capital Paranaense.

Rubens Gatti, de Rolândia, destacou em seu discurso que compartilha o Troféu Moura Brito com os colaboradores da Federação, pilotos e clubes, que fazem com que a Federação do Paraná seja uma das mais atuantes do Brasil, com um automobilismo pujante.

Rubens Gatti

Rubens Gatti dividia a premiação com colaboradores da Federação, pilotos e clubes (Foto: Mario Ferreira)

Rubens Gatti dividia a premiação com colaboradores da Federação, pilotos e clubes (Foto: Mario Ferreira)

O Troféu Moura Brito, categoria Incentivador, em 2018 vai para Rubens Maurílio Gatti, presidente da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA).

Rubens Gatti é engenheiro elétrico e está prestes a completar 40 anos de atuação no esporte motor. De 1980 a 1983, Gatti competiu no kart e no autocross; de 1984 a 1986, foi diretor técnico do Kart Clube do Café, de Rolândia; de 1986 a 1992, presidente do Kart Clube do Café, de Rolândia; de 1992 a 1994, comissário técnico da Federação Paranaense de Automobilismo; em 1995, foi diretor técnico da Federação Paranaense de Automobilismo; de 1996 a 2001, foi diretor de competições da Federação Paranaense de Automobilismo; de 1995 a 2008, membro da Comissão Técnica do GP Brasil de Fórmula 1; de 2001 a 2018: presidente da Federação Paranaense de Automobilismo; de 2009 a 2016, presidente da Comissão Nacional de Kart (CNK-CBA); e de 2010 a 2016, presidente do Departamento de Kart da Codasur (Confederação Sudamericana de Automobilismo).

Lagarto

Osmar “Lagarto” Sorbara, reconhecimento por quase 50 anos de automobilismo (Foto: Mario Ferreira)

Osmar “Lagarto” Sorbara, reconhecimento por quase 50 anos de automobilismo (Foto: Mario Ferreira)

A premiação da categoria Preparador faz jus a Osmar Sorbara, o Lagato, como é conhecido. Ele nasceu no dia 28 de dezembro de 1952, em Londrina, no Paraná. Reside em Cascavel desde 1.960. Casado com Maria Terezinha Sorbara, pai de duas filhas, tem quatro netos e uma bisneta.

Lagarto iniciou no automobilismo ainda jovem. Em 1966, começou

Ormar a atuar como ajudante de mecânico da revenda Simca do Brasil, em Cascavel, dos sócios Adorival Pian, e os irmãos Arvilho, Lauri e Osmar Sonda. Ainda em 1966, já como assistente do mecânico Nelson prepara a Simca da dupla Reinaldo Campagnolo/Jaci Pian para a corrida “300 Milhas de Cascavel, realizada no dia 4 de dezembro. Em seguida, preparou a Simca de Jaci Pian para a 2ª Grande Prova Rodovia do Café, realizada no dia 18 de dezembro de 1966. A corrida foi entre Curitiba e Londrina, ida e volta, totalizando 800 quilômetros. Jaci foi o quinto colocado na categoria e no 9º na Geral, entre os 45 participantes.

Em 1967, já como mais experiência, Lagarto assumiu a preparação da Simca Chambord de Jaci Pian para a prova “500 Kms de Cascavel, realizada no dia 11 de junho. Jaci sagrou-se vencedor, completando os 500 Kms em 4h43m. Ainda em 1967, preparou o Simca Carreteira de Jaci Pian para a 1ª Cascavel de Ouro realizada no dia 15 de novembro, disputada em 400 milhas. Jaci liderou as duas primeiras horas da prova, quando teve problemas com o pescador de combustível.

Em 1968, preparou o Simca Carreteira de Jaci Pian para as “2 Horas de Curitiba”, quando Jaci terminou entre os primeiros colocados.

Em 1969, preparou o Simca Carreteira de Jaci Pian para a prova de inauguração do Autódromo Internacional de Cascavel, realizada no dia 16 de novembro, levando Jaci à pole position.

Entre 1970 e 1972, os parceiros Osmar Sorbara e Jaci Pian estiveram em inúmeras provas em Cascavel, Laranjeiras do Sul, Guaraniaçu, Guarapuava, Joaçaba e Curitiba, sempre com bons resultados.

Em 1975, trabalhou com Valdir Favarin na Divisão 4, com uma Manta, conquistado o título do Campeonato Brasileiro, com um segundo e um terceiro lugar na etapa de São Paulo (SP), depois de vencer a etapa de Tarumã, no Rio Grande do Sul; um segundo lugar em Cascavel; um segundo em Goiânia; e um terceiro em Brasília.

Nos anos de 1976, 1977, 1978 e 1979 Lagarto trabalhou nos Fórmula Volkswagen, com Pedro Muffato

Já década de 80 levou Sérgio Pacheco a vários títulos paranaenses de Divisão 3, duelando com Pedro Lecheta, em uma das maiores rivalidades já existente no automobilismo paranaense.

Ainda na década de 80, passou a trabalhar com Pedro Muffato, inicialmente com um Supervê, seguindo para o desenvolvimento do Fórmula 2, já com o motor á álcool. Todo o trabalho levou a fabricação do chassis Muffato, projeto desenvolvido por Pedro Muffato, em parceria com o argentino Orestes Berta. Este carro fabricado em Cascavel foi o ponto de partida para a Fórmula 3, categoria de enorme sucesso na América do Sul, e na qual nosso homenageado também trabalhou com pilotos do quilate de Helio Castroneves, Tom  Stefani, Ananias Justino,  Laércio Justino, Ricardo Zonta, Bruno Junqueira e outros.

Já na Fórmula Ford, trabalhou José Cordova, também nos anos 80, um dos mais técnicos pilotos do Paraná.

Nas décadas de 1990/2000/2010, Lagarto trabalhou nas provas dos campeonatos Regionais e Paranaense de Marcas, contribuindo com o seu conhecimento para o desenvolvimento da categoria, sempre com bons resultados com pilotos como Luiz Fernando Pielak, Cleves Formentão, Gelson Veronese, Leandro Zandoná.

Nos anos de 2013 e 2014, sagrou-se bicampeão do Regional de Marcas, categoria N, com o piloto Cleber Fonseca.

Na arrancada levou Flamarion Zacchi ao título brasileiro já na década de 90.

Lagarto tem 52 anos de história e bons serviços prestados ao automobilismo paranaense e brasileiro.

Ricardo Voigt

Ricardo Voigt, o Meningite, é o piloto homenageado nesta ano (Foto: Mario Ferreira)

Ricardo Voigt, o Meningite, é o piloto homenageado nesta ano (Foto: Mario Ferreira)

Ricardo Voigt, o piloto de 2018 do Troféu Moura Brito estreou no kart em uma corrida de rua em Ponta em 1969, a prova Leon Treme, que reuniu os melhores pilotos do Paraná na época. Foi ali que, que segundo ele, descobriu sua paixão pela velocidade.

Ainda em 1969 participou da inauguração do Kartódromo de Vila Velha. Em 1973 sagrou-se campeão do Curitibano de Kart 125cc, foi vice-campeão Paranaense de Kart em Rolândia, campeão da Prova Jornal e TV Coligadas de Kart–Kart 125 cc, disputada em Blumenau (SC).

Em 1974 conquistou o título do Paranaense de Kart, categoria 100cc; e venceu a prova de inauguração do Kartódromo de Lages (SC).

Em 1975 foi vice-campeão Paranaense de Kart (categoria 125cc). Seguiu conquistando bons resultados no Paraná e São Paulo em 1976 e 1977 e em1978 voltou a ser campeão Paranaense de Kart na categoria 100cc.

Voigt voltou a vencer no Kart em 2009, 2010 3 2012, quando foi o primeiro colocado na Prova GM Chevrolet de Kart no Raceland Internacional.

Homenagem póstuma

Ari Ebbers recebeu o troféu em homenagem póstuma a seu pai Affonso Eberhard Ebbers (Foto: Mario Ferreira)

Ari Ebbers recebeu o troféu em homenagem póstuma a seu pai Affonso Eberhard Ebbers (Foto: Mario Ferreira)

O homenageado póstumo é Affonso Eberhard Ebbers. Ele começou sua carreira em um Chevrolet 1934, comprado pelo seu pai para uso “diário”, e desde então nunca mais saiu da família. Era um conversível com quatro portas.

Em 1966 pegou gosto pelas competições e preparou e competiu com seu Chevrolet em provas como o II Grande Prêmio do Paraná, em 18 de dezembro de 1966. Esta prova era comemorativa da inauguração da estrada entre Curitiba e Londrina, no interior do Paraná.

Depois que parou de correr passou a preparar carros para amigos e em 1984 fez o Volkswagen Passat que Cláudio Erbano venceu a Cascavel de Ouro. Depois disso ainda fez alguns carros para arrancada, ficou um tempo ausente das pistas até que seu filho Ariel passou a competir no Campeonato Paranaense de Marcas, ganhando dois campeonatos. Também passou a ser chamado de professor em função do ensinamentos à nova geração. ……. Faleceu em 2005.

CURITIBA (PR) – A diretoria e o Conselho Fiscal da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) recepcionam presidentes dos clubes amanhã (sábado) para a Assembleia de Prestação de Contas. A primeira chamada está marcada para às 13 horas, na sede da entidade à rua Engenheiro Niepce da Silva, nº 100, em Curitiba.

O presidente Rubens Gatti informa que na assemblia deste sábado será analisar as contas do exercício de 2017. “Estaremos a disposição dos clubes para esclarecimentos sobre as contas de 2017 e por último será colocado para apreciação do plenário, para através de voto, decidir a favor ou contra o parecer do Conselho Fiscal, que recomenda a aprovação das contas”, explica Rubens Gatti.

Rubens Gatti trabalha para impedir que provas piratas coloquem em risco a vida de pilotos, organizadores e de torcedores (Foto: Mario Ferreira)

Rubens Gatti trabalha para impedir que provas piratas coloquem em risco a vida de pilotos, organizadores e de torcedores (Foto: Mario Ferreira)

CURITIBA (PR) – Atendendo solicitação da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), o Ministério Público canelou uma corrida pirata de kart que seria disputada neste fim de semana nas ruas de Ubiratã, na região Oeste do Paraná. Também foram comunicados da irregularidade a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, explica que qualquer prova automobilística a serem realizadas no Paraná precisa estar de acordo com as normas técnicas, esportivas e de segurança. Todos os órgãos precisam estar cientes e aprovarem as normas de segurança que evolvam participantes, promotores e público.

Gatti também explica que o alvará para as competições só é expedido pela FPrA quando o promotor do evento cumpre com todos os encargos exigidos. Ele deve ser solicitado 30 dias antes da data prevista para o evento. Os técnicos da entidade estabelecem as condições de segurança, sempre buscando preservar a integridade física de participantes, do público e de terceiros. Estas exigências vão desde o equipamento do participantes a normas de evacuação do local caso venha a ocorrer algum imprevisto. Em caso de acidente, como será feito o atendimento a participante ou ao público. “Em um evento automobilístico, há diversos itens que começam a ser analisado muito tempo antes da data prevista. Vai de condições da praça esportiva, de capacidade de público, como as pessoas vão chegar ao local e retornar a seus lares. Em caso de um acidente, quais condições e como será feito o atendimento, quantos profissionais estarão à disposição, quais as condições dos equipamentos, em caso atendimento médico mais aprimorado, como será feito este atendimento e de que forma a ou as ambulâncias deixaram o local. Para os participantes, as análises vão das normais desportivas (regulamentos) e condições do equipamento, se as condições da prova desportiva oferecem a segurança necessária”, acentua Gatti.

marcaspr

brkart

prterra

rali5

arrancadapr402

abril 2020
S T Q Q S S D
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
2ª Etapa – Turismo 5000 – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba – 2017
2ª Etapa – Turismo – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
2ª Etapa – Marcas – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Marcas – Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Turismo – Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Turismo 5000 – Paranaense + Metropolitano Curitiba – 2017

 

Mais Vídeos Clique AQUI!