Get Adobe Flash player

Rally

A largada do 27º Transparaná será em Foz do Iguaçu e a chegada em Curitiba (Foto: Divulgação)

A largada do 27º Transparaná será em Foz do Iguaçu e a chegada em Curitiba (Foto: Divulgação)

A cidade de Foz do Iguaçu será o ponto de concentração e de partida do 27º Transparaná – um dos encontros off-road mais tradicionais do país, que acontecerá de 16 a 20 de fevereiro. Organizado pelo Jeep Clube de Curitiba, com supervisão da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), a competição cortará o estado do Paraná em quatro dias de provas e aproximadamente 1.000 quilômetros de muita aventura, com destino ao Palácio Iguaçu, sede do governo do Estado, em Curitiba. As cidades de pernoites serão Cascavel, Guarapuava e Irati.

Até o momento, são 104 veículos inscritos, divididos nas categorias Máster, Graduado, Turismo, Light e Adventure. São pessoas vindas de dez estados, sendo: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Goiânia, Bahia e Piauí.

“Além de quantitativo, este grid está altamente qualificado. Os principais nomes do rali nacional confirmaram presença no nosso certame e isso é garantia de grandes disputas pelo pódio de todas as categorias. Os maiores campeões do rali de regularidade nacional estarão conosco e isso é motivo de orgulho para nós”, declarou o diretor geral do Transparaná, Vinicius Gunha, o Gallo.

A secretaria de prova será no Centro de Convenções de Foz do Iguaçu, localizado no famoso ponto turístico das Cataratas do Iguaçu. No dia 16 de fevereiro, a partir das 14h, o Transparaná começará a receber os participantes para confirmação de presença, retirada dos kits e vistorias técnicas. A largada está programada para o dia 17, às 9h.

O roteiro

Primeiro dia de prova – Foz do Iguaçu a Cascavel (240 quilômetros)

 

De acordo com o diretor de prova, Vander Hirt, o Fritão, o roteiro do primeiro dia margeará o Parque Nacional do Iguaçu. Logo no começo, haverá uma pista onde pilotos e navegadores deverão estar bem concentrados para encarar muitos balaios. “Afirmo que o resultado do primeiro dia será definido neste trecho”, alertou Fritão.

Cumprido este desafio inicial, pilotos e navegadores seguirão por estradas mais abertas (e em linha) dentro de fazendas de eucaliptos. “A chegada em Cascavel promete ser emocionante. Teremos uma fazenda com trilhas de mata nativa e uma outra pista, que permitirá alta velocidade e, claro, mais balaios. Será um verdadeiro espetáculo, com os carros escorregando e levantando poeira (ou espalhando lama)”, concluiu.

 

Segundo dia de prova – Cascavel a Guarapuava (310 quilômetros)

 

O segundo dia de Transparaná segue rumo a cidade de Guarapuava, passando por Laranjeiras do Sul, Goioxim e Palmeirinha. A prova será em linha, passando por fazendas de reflorestamento de pinus. Haverá os tradicionais balaios e as médias de velocidade serão justas (ora alta).

 

Terceiro dia – Guarapuava a Irati (220 quilômetros)

 

O dia começa em uma pista de motocross localizada ao lado do Rio Jordão (e assim, a caravana do Transparaná se despedirá de Guarapuava). Com pouco trecho deslocamento, os off-roaders passarão por uma fazenda de pinus com terreno bom e bem diversificado, com direito a lama. “Essa será a prova mais veloz do Transparaná 2021, com muitas mudanças de direção. Também teremos vários balaios”. Fazem parte do roteiro as localidades de Guará e Imbituva.

Para encerrar o dia e colocar aquela “pimenta” na disputa e deixar a briga pelo título de 2021 ainda mais acirrada, haverá uma outra pista dentro do CTG de Irati, com muitos balaios (um em cima do outro), onde a intenção será separar os “homens dos meninos”.

 

Quarto dia – Irati a Curitiba (205 quilômetros)

 

A mesma pista do CTG em Irati abrirá o último dia do Transparaná; que depois seguirá rumo a Porto Amazonas e São Luiz do Purunã. O destaque ficará por conta da Fazenda Santa Joana que oferece uma vasta opção de trilhas extremamente técnicas. Mas antes de chegar lá, um novo setor com diversos balaios continuará exigindo a atenção e habilidade das duplas. Será “faca nos dentes” do início ao fim do rali.

O pórtico de chegada do Transparaná será montado no Palácio do Governo.

 

O 27º Transparaná é patrocinado por Governo do Estado do Paraná, Sanepar, Copel Energia, Prati Donaduzzi, Dispauto Auto Peças, GS Performance, Mamute Off-Road, Acassius Centro Gráfico, Trilha Euro Car, Troller, Ekron Off-Road.

Tem apoio de Estrada Distribuidora de Combustível, Guarapuava 4×4, Velho Madalosso, Bemajjy Bolsas, RL Cópias, Insam, Fábrica das Cópias, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, Prefeitura Municipal de Cascavel, Prefeitura Municipal de Guarapuava e Prefeitura Municipal de Irati.

Rubens Gatti (presidente) e Bento Tino (vice-presidente) buscam mais agilidade no atendimento aos pilotos paranaenses (Foto: Mario Ferreira)

Rubens Gatti (presidente) e Bento Tino (vice-presidente) buscam mais agilidade no atendimento aos pilotos paranaenses (Foto: Mario Ferreira)

CURITIBA (PR) – A pandemia do coronavírus continua afetando o automobilismo e não há uma estimativa exata de quando as competições poderão começar nesta temporada. Visando proporcionar conforto e evitar atropelos quando as provas foram confirmadas, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) atende os pilotos em cinco cidades do Estado. Neste início de temporada, a maior parte dos atendimentos está relacionado com a documentação e com a renovação ou confecções de Carteiras de Pilotos.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, destaca a importância dos pilotos cuidarem da documentação o mais cedo possível porque assim que os protocolos sanitários das secretarias de Saúde do Estado e dos municípios permitirem, os campeonatos das mais diferentes categorias terão início. Para isso está com seis pontos de atendimento em cinco cidades do estado. Em Curitiba, os pilotos podem procurar a sede da federação, que serão atendidos por Salete e Zé Mário. Informações podem ser obtidas pelo Fone (41)  3345-4351; em Londrina e região Norte, com Ana (43) 3255-5313); em Cascavel, com Juliana Damian (45) 3223-6363; e Cleucir Lunardi (45) 9 9968-7176; em Foz do Iguaçu, com Bento Tino (45) 9 8409-4591; e em Pato Branco, com Ademar Assis Silvestre, o Chico, pelo Fone (46) 9 9105-4505.

Os irmãos Juliano e Rafael Sartori são bicampeões do Rali da Graciosa (Foto: Edson Castro)

Os irmãos Juliano e Rafael Sartori são bicampeões do Rali da Graciosa (Foto: Edson Castro)

O Rali da Graciosa é mais que uma simples corrida de rali de velocidade, representa uma parte importante da história do esporte no Brasil. Disputado desde 1981, é o mais antigo rali ainda na ativa no País.

Das estradas de terra, de especiais épicas como a Dom Pedro, de trechos inesquecíveis como a “curva do pinheirinho”, ao asfalto, a prova foi se moldando ao longo do tempo. Já passou por cidades como Araucária, Curitiba, Campina Grande, Morretes, Antonina, Piraquara e Quatro Barras, sempre no entorno da capital paranaense.

Em 2020, volta a Quatro Barras, percorrerá novamente a famosa especial Dom Pedro (agora toda em asfalto), em uma prova que promete ser decisiva para as pretensões de quem ainda sonha com título do Brasileiro de Rali de Velocidade. Será a quarta corrida do ano a partir desta sexta-feira (27) e até o domingo (29).

“Estamos na fase final do campeonato e preparados para a etapa do Graciosa. Estamos cientes que deveremos fazer um rali consistente, sem erros, para pontuar bem. Vai ser uma etapa 100% em asfalto, corremos lá o ano passado, é um lindo rali. Vamos fazer de tudo para trazer um bom resultado para a nossa equipe”, diz o navegador Rafael Sartori, que junto com o piloto e irmão Juliano, já venceram a prova em duas oportunidades.

“É uma prova muito difícil, diferente do que estamos acostumados a andar, mas que já andamos e conhecemos. Trata-se de uma corrida muito rápida e nossa expectativa é poder brigar pela maior quantidade de pontos possível e nos manter na disputa pelo título desta temporada”, acrescenta Ulysses Bertholdo, também vendedor de duas corridas no Graciosa.

Para Evandro Carbonera, o Graciosa é um dos ralis mais importantes do calendário nacional. “Por sua história, pela peculiaridade de ser a única corrida 100% em asfalto, um tipo de rali diferente, que precisa de diversos ajustes mecânicos como suspensão, pneus e nossa equipe tem trabalhado no pré-prova para que tudo fique pronto e possamos fazer uma boa corrida no final de semana”, enfatiza Evandro.

O gaúcho Cláudio Rossi (correrá em dupla com Eduardo Tonial) disputa o Rali da Graciosa desde os anos 90 (Foto: Edson Castro)

O gaúcho Cláudio Rossi (correrá em dupla com Eduardo Tonial) disputa o Rali da Graciosa desde os anos 90 (Foto: Edson Castro)

O gaúcho Cláudio Rossi destaca ainda as muitas mudanças que precisaram ser feitas nos carros para a corrida 100% em asfalto. “Ajustes de suspensão, novos freios, pneus, rodas, uma série de configurações que mudam em relação a provas em estradas de terra”, amplia Rossi.

A história do Graciosa

Subir ou não a famosa Serra da Graciosa, nunca impediu de a corrida levar a região da mata Atlântica no nome. Pelas estradas da região de Curitiba já competiram pilotos e navegadores de inúmeros países, incluindo Europa.

Passaram pela corrida ao longo da história, grandes campeões do Campeonato Brasileiro e Sul-Americano de Rali de Velocidade. Dos que já venceram por lá, apenas três estarão na pista no sábado e domingo: Maurício Neves/Leandro Ferrarini (dupla do Paraná), Ulysses Bertholdo, piloto gaúcho, além dos irmãos Juliano e Rafael Sartori.

O jornalista e fotógrafo Edson Castro, que acompanha o Graciosa desde 2000, destaca que o Graciosa é o tipo de prova que todo competidor quer vencer. “No Brasil se formaram ralis históricos, com mística, ambiente diferente, como é o caso do Graciosa. Tive a oportunidade de acompanhar as disputas na terra, provas a noite, largadas promocionais no centro de Curitiba, o Graciosa em suas várias formações, sempre é um show a parte, uma parte importante da história deste esporte para o Brasil e que agora se torna a única com todos os trechos especiais em asfalto”, completa o jornalista.

O Rali da Graciosa é a única prova de rali no Brasil disputada 100% no asfalto (Foto: Edson Castro)

O Rali da Graciosa é a única prova de rali no Brasil disputada 100% no asfalto (Foto: Edson Castro)

VENCEDORES DO RALLY DA GRACIOSA

2019 – Marco Malucelli/Vinicius Anziliero – Mitsubishi Lancer / Brasil

2018 – Mauricio Neves/Leandro Ferrarini – Peugeot 207 / Brasil

2017 – Michel Mueller/Luis Felipe Eckel – Peugeot 207 / Brasil

2016 – Mauricio Neves/Leandro Ferrarini – Peugeot 207 XRC / Brasil

2015 – Mauricio Neves/Leandro Ferrarini – Peugeot 207 XRC / Brasil

2014 – Rafael Tulio/Gilvan Jablonski – Peugeot 207 / Brasil

2010 – Kris Meeke/Paul Nagle – Peugeot S2000 / Inglaterra

2009 – Kris Meeke/Paul Nagle – Peugeot S2000 / Inglaterra

2008 – Édio Fuchter/Gilvan Jablonski – Mitsubishi Lancer / Brasil

2007 – Édio Fuchter/Lelo Perdigão – Mitsubishi Lancer / Brasil

2006 – Juliano Sartori/Rafael Sartori – Subaru Impreza / Brasil

2005 – Ulysses Bertholdo/Gilberto Barricatti – Mitsubishi Lancer / Brasil

2004 – Ulysses Bertholdo/Armando Miranda – Mitsubishi Lancer / Brasil

2003 – Juliano Sartori/Rafael Sartori – Mitsubishi Lancer / Brasil

2002 – Tino Viana/Edu Paula – Subaru Impreza / Brasil

2001 – Federico Villagra/Javier Villagra – Mitsubishi Lancer / Argentina

2000 – Marcos Ligatto/Ruben Garcia – Subaru Impreza / Argentina

1999 – Christian Rosiak/Hugo Thomaz – Mitsubishi Lancer / Argentina

1998 – Francisco Gorostiaga/Victor Aguilera – Lancia Delta / Paraguai

1997 – Gabriel Mendez/Carlos Villete – Toyota Celica / Uruguai

1996 – Gabriel Raies/José Volta – Toyota Celica / Argentina

1995 – Maria Dario Galanti/Ivan Dumont – Toyota Celica / Paraguai

1994 – Maria Dario Galanti/Ivan Dumont – Toyota Celica / Paraguai

1993 – Gabriel Mendez/Felipe Mercader – Gol GTI / Uruguai

1992 – Gustavo Pisano/Felipe Mercader – VW Gol GTI / Uruguai

1991 – Paulo Lemos/Ricardo Costa – VW Gol GTI / Brasil

1990 – Reinaldo Varela/Sérgio Lima – VW Gol GTI / Brasil

1989 – Édio Fuchter/Ricardo Costa – VW Gol GTI / Brasil

1988 – Édio Fuchter/Ricardo Costa – VW Gol GTI / Brasil

1987 – Paulo Lemos/Arthur Carvalho – VW Gol GI / Brasil

1985 – Claudio Antunes/Olavo Barbour – VW Passat / Brasil

1984 – Cesar Vilela/José Baranovisk – GM Monza / Brasil

1983 – Paulo Lemos/Arthur Carvalho – VW Voyage / Brasil

1982 – Sady Bordin/Dario Araujo – VW Voyage / Brasil

1981 – Jorge Fleck/Sylvio Klein – VW Gol /Brasil

 

 

Programação do Rali da Graciosa

Sexta-feira, dia 27

14h – Abertura da Secretaria de Prova

15h – Início do reconhecimento das especiais

 

Sábado, dia 28

13h13 – Largada da Especial Rio do Meio 1

13h51 – Largada da Especial Campininha 1

14h34 – Largada da Especial Rio do Meio 2

16h32 – Largada da Especial Rio do Meio 3

17h10 – Largada da Especial Campininha 2

 

Domingo, dia 29

8h13 – Largada da Especial Dom Pedro 1

9h06 – Largada da Especial Dom Pedro 2

11h09 – Largada da Especial Dom Pedro 3

13h – Premiação

Rubens Gatti conversa com autoridades de saúde dos municípios e do Governo buscando reabrir autódromos e kartódromos no Paraná (Foto: Vanderley Soares)

Rubens Gatti conversa com autoridades de saúde dos municípios e do Governo buscando reabrir autódromos e kartódromos no Paraná (Foto: Vanderley Soares)

CURITIBA (PR) – No momento em que diversos segmentos da economia começam o processo de reabertura em função da pandemia do coronavírus, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) mantém dialogo com autoridades de saúde e esportivas para a liberação dos autódromos e kartódromos do Paraná. Em um primeiro momento, as praças esportivas seriam liberadas para treinos e em seguida para competições, sem a presença do público.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, informa que está conversando com autoridades dos municípios e do governo do Paraná. Gatti destaca que a FPrA e a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) baixaram portarias normatizando como será a pratica do automobilismo que impossibilite a disseminação do coronavírus. Mas a volta das atividades só será possível com a autorização das autoridades de saúde dos municípios e do Estado. “Estamos levando informações a todos os municípios e a Secretaria de Saúde do Paraná. Tudo precisa ser feito com segurança, mas temos que buscar um retorno para que possibilite as classes trabalhadoras da cadeia do automobilismo voltarem a ter renda”, frisa Gatti.

Rubens Gatti também informa que em Cascavel, o Autódromo Zilmar Beux e o kartódromo Delci Damian já estão liberados para treinos há alguns dias. O Kartódromo Raceland Internacional, em Pinhais, região Metropolitana de Curitiba, também está aberto para treinos. Estas três praças seguem as determinações das autoridades de saúde e das portarias da FPrA e da CBA.  Até agora tudo tem funcionado bem. “Estamos trabalhando para também liberar os autódromos de Curitiba e Londrina e os kartódromos de todo o Estado. “O Kartódromo Luigi Borghesi, em Londrina, tem uma situação peculiar porque irá sediar a Copa Brasil, que foi adiada de outubro deste ano para fevereiro de 2021. Muitos pilotos e equipes buscam realizar treinos preparatórios, que podem ser feitos com medidas de distanciamento, como já estão sendo feitas em Cascavel e no Raceland”, completa Rubens Gatti.

Oficio FPrAAmparada pela Lei 20.189, decretada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador do Paraná Carlos Massa Ratinho Júnior, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), libera autódromos e kartódromos do Paraná, cabendo aos clubes e associações estabelecer as normas e seguir as orientações das autoridades de saúde dos municípios, do Estado e da União. A determinação foi comunicado aos clubes e associações filiadas à entidade, pelo oficio 08/20, assinado pelo presidente Rubens Gatti.

Segundo Rubens Gatti, com a Lei do Estado, que libera as atividades de oficinas mecânicas, será possível treinos e testes nas praças esportivas. Mas isto tem que sequer o que cada município determina. Ele acrescenta que a medida se faz necessário para permitir que todo o corpo técnico do automobilismo volte a trabalhar, minimizando o impacto social, pois toda a classe depende financeiramente deste trabalho. Os clubes estabelecerão as normais, procurando evitar aglomerações e com todas as exigências das autoridades de saúde”, diz Rubens Gatti, acrescentado que a FPrA continuará dialogando com as autoridades e atenta a todos os desdobramentos, até que as competições possam ser liberadas.

A CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), através de seu presidente Waldner Bernardo de Oliveira, o Dadai, baixou hoje a Portaria nº 02/2020, estabelecendo que caberá as Federações Estaduais decidirem sobre o reinicio das atividades automobilísticas nos estados, respeitando as leis Federais, Estaduais e Municipais.

 

Veja a integra do ofício da FPrA:

 

Para

CLUBES e ASSOCIAÇÕES filiados a FPRA

Ilmos. Srs. Presidentes.

Ref.: ATIVIDADES AUTOMOBILÍSTICAS.

 

A Federação Paranaense de Automobilismo – FPRA – por seu Presidente, Sr. Rubens Maurílio Gatti, ciente de que a atividade automobilística envolve centenas de preparadores, mecânicos e auxiliares cujas famílias dependem financeiramente destes para a sobrevivência, e por analogia estando liberada a atividade das oficinas mecânicas no Estado Paraná, decide liberar as atividades inerentes ao automobilismo no Estado, desde de que atendida toda e qualquer orientação ou determinação das autoridades da área da saúde, seja Federal, Estadual ou Municipal.

Assim, cada CLUBE ou ASSOCIAÇÃO ficará responsável pelo cumprimento das normas e ou procedimentos expedidos pelas autoridades acima mencionadas, evitando a disseminação da COVID-19.

Certos do cumprimento das normas por parte dos respectivos Clubes e Associações, subscrevemo-nos.

Atenciosamente,

Rubens Maurílio Gatti

Presidente

Portaria CBA

Rubens Gatti diz que todos campeonatos previstos para a temporada 2020 serão mantidos (Foto: Vanderley Soares)

Rubens Gatti diz que todos campeonatos previstos para a temporada 2020 serão mantidos (Foto: Vanderley Soares)

CURITIBA (PR) – Com a paralisação de todas as competições automobilísticas em função da pandemia do coronavírus, a Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) irá refazer o calendário de todas as categorias do automobilismo paranaense. Todos os campeonatos previstos serão mantidos.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, explica que o ajuste de datas para um novo calendário será feito tão logo seja definido o calendário das categorias nacionais. “Vamos esperar a definição das categorias nacionais e estudarmos as datas restantes. Muitos paranaenses participam das categorias nacionais e também sediamos muitas provas nacionais. Em alguns casos, poderemos ter programação conjunta”, frisa Gatti.

Gatti também adianta que a diretoria da FPrA tomou a decisão de que todos os campeonatos previstos para a temporada 2020 serão realizados. Em alguns casos o número de etapas poderá diminuir. “Vamos dialogar com os clubes, pilotos, promotores e chegaremos ao ponto que será melhor para todos”, enfatiza Rubens Gatti.

 

Campeonatos previstos para a temporada 2020 no Paraná

Kart

Campeonato Paranaense de Kart – Curitiba

Campeonato Paranaense de Kart Light – Londrina

Open da Copa Brasil de Kart – Londrina

Campeonato Metropolitano de Kart de Cascavel

Campeonato Citadino de Kart de Foz do Iguaçu

Campeonato Metropolitano de Kart de Rio Negro

Copa Super Paraná de Kart – Curitiba

Copa Paraná de Kart – Cascavel

Campeonato Pato-branquense de Kart

Provas festivas

 

Rali

Campeonato Paranaense de Rali

 

Velocidade na Terra

Campeonato Metropolitano de São José dos Pinhais

Campeonato Paranaense

 

Velocidade no Asfalto

Campeonato Paranaense – Curitiba – Londrina – Cascavel

Campeonato de Metropolitano de Curitiba

Copa de Cascavel – Três etapas

Campeonato Metropolitano de Londrina

 

Arrancada

Campeonato Paranaense de Arrancada na Terra

Copa Paraná de Arrancada na Terra

Provas festivas na Terra em São Mateus do Sul e Ponta Grossa

Campeonato Paranaense de Arrancada de 201 Metros

 

Provas longas

Cascavel de Ouro

500 Milhas de Londrina

O Transparaná terá quatro dias de muita poeira ou lama, com com adrenalina

O Transparaná terá quatro dias de muita poeira ou lama, com com adrenalina

Começa nesta quarta-feira a mais tradicional competição off-road do Paraná. A 26ª edição do Transparaná será disputada de quarta-feira a sábado, com a expectativa de fortes emoções aos participantes oriundos de vários estados. Além de Guarapuava, a competição passa por Imbituva, Castro e a chegada será em Curitiba no sábado. A promoção e organização são do Jeep Clube de Curitiba, com supervisão da FPrA (Federação Paranaense de Automobilismo).

A programação começa às 8h desta quarta-feira com a abertura da Secretaria de Prova, em Guarapuava. Às 11h será realizado o briefing com os pilotos e a largada do primeiro carro está marcada para às 13h. A premiação da etapa de Guarapuava será 45 minutos após a entrega dos resultados, no hotel Iapó.

A segunda etapa será quinta-feira de Guarapuava a Imbituva, com largada às 8h. A terceira etapa será na sexta-feira, com largada às 8h em Imbituva e a chegada em Castro. A quarta e última etapa será no sábado, com largada às 8h em Castro e chegada em Curitiba. A premiação da etapa de encerramento será às 17h, ao passo que a premiação do Transparaná será ás 18h, no Barigui Park Hotel.

Rubens Gatti trabalha para impedir que provas piratas coloquem em risco a vida de pilotos, organizadores e de torcedores (Foto: Mario Ferreira)

Rubens Gatti trabalha para impedir que provas piratas coloquem em risco a vida de pilotos, organizadores e de torcedores (Foto: Mario Ferreira)

CURITIBA (PR) – Atendendo solicitação da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), o Ministério Público canelou uma corrida pirata de kart que seria disputada neste fim de semana nas ruas de Ubiratã, na região Oeste do Paraná. Também foram comunicados da irregularidade a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.

Rubens Gatti, presidente da FPrA, explica que qualquer prova automobilística a serem realizadas no Paraná precisa estar de acordo com as normas técnicas, esportivas e de segurança. Todos os órgãos precisam estar cientes e aprovarem as normas de segurança que evolvam participantes, promotores e público.

Gatti também explica que o alvará para as competições só é expedido pela FPrA quando o promotor do evento cumpre com todos os encargos exigidos. Ele deve ser solicitado 30 dias antes da data prevista para o evento. Os técnicos da entidade estabelecem as condições de segurança, sempre buscando preservar a integridade física de participantes, do público e de terceiros. Estas exigências vão desde o equipamento do participantes a normas de evacuação do local caso venha a ocorrer algum imprevisto. Em caso de acidente, como será feito o atendimento a participante ou ao público. “Em um evento automobilístico, há diversos itens que começam a ser analisado muito tempo antes da data prevista. Vai de condições da praça esportiva, de capacidade de público, como as pessoas vão chegar ao local e retornar a seus lares. Em caso de um acidente, quais condições e como será feito o atendimento, quantos profissionais estarão à disposição, quais as condições dos equipamentos, em caso atendimento médico mais aprimorado, como será feito este atendimento e de que forma a ou as ambulâncias deixaram o local. Para os participantes, as análises vão das normais desportivas (regulamentos) e condições do equipamento, se as condições da prova desportiva oferecem a segurança necessária”, acentua Gatti.

Em sua 5ª edição, o Rali Paraná é uma das provas que mais cresce no cenário off-road paranaense, e muito aguardada pelas equipes que competem no rali de regularidade com a realização pela primeira vez na cidade de Cambira, situada na região do Vale do Ivaí no Norte Central Paranaense, a uma distância de 337 km da Capital (Curitiba), nos dias 5 e 6 de maio.

O certame contará pontos para o Campeonato Paranaense de Rali 4×4 de Regularidade, nas categorias Máster (principal da competição), Graduados, Turismo e Light. As inscrições estão abertas, e podem ser feitas através do site: www.rallyparana.com.

A programação da segunda etapa do Rali Paraná 2017 terá início na sexta-feira, dia 5, quando haverá recepção aos competidores e a abertura da secretaria no Centro de Convivência dos Idosos de Cambira. A largada será no sábado, dia 6, a partir das 10 horas em frente à Igreja Matriz no centro de Cambira.

A Prefeitura Municipal de Cambira, juntamente com a Secretaria de Esportes e Lazer, através do seu secretário Felipe Zani, está muito grata por poder receber a realização do Rali Paraná na cidade. “Sendo a primeira vez que o município sedia o evento é muito importante para o esporte e lazer da cidade, trazendo entretenimento para a população. Além de todo o conhecimento sobre o rali e como funcionam as regras. É de muita alegria, estamos ansiosos para a realização da prova e, toda a população está animada. Com isso, o município acaba tendo mais visibilidade na área, pois nunca foi feito algo do tipo na cidade”, declara Felipe Zani.

“Na cidade nós temos muitos simpatizantes do esporte e, assim, poderemos vivenciar um pouco dá emoção do rali, automaticamente acaba aquecendo nossos comércios, mercados e restaurantes, pois serão aproximadamente cinquenta veículos 4×4 e a cidade ficará movimentada no fim de semana. Agradecemos muito o Vander Hirt, organizador do Rali Paraná, em confiar para que este evento fosse possível. A Secretária de Esportes juntamente a Prefeitura estamos fazendo de tudo para que seja um grande evento”, acrescenta Zani.

As equipes inscritas no Rally Paraná irão levantar poeira a partir do sábado (06), em trajeto de 120 quilômetros por canaviais e estradas vicinais, com travessia de riacho no interior de Cambira, distritos e próximos aos municípios limítrofes de Jandaia do Sul e Marumbi.

A etapa em Cambira deve ficar no calendário do Rally Paraná. “Para nós de um município tão pequeno é uma honra receber um grande evento de nível estadual. Esta é uma forma de movimentar a economia do nosso município, e de inclusão de todos os participantes. Como também de fomentar o turismo local, mostrando nossas estruturas e trilhas”, destaca o vereador de Cambira, Anderson Carlos Toledo Pires.

“Vamos premiar do 1º ao 5º nas quatro categorias. Quero agradecer os competidores que tem prestigiado o Rally Paraná, acreditando que podemos sim ter um campeonato competitivo dentro do nosso Estado”, finaliza Vanderlei Hirt, diretor-geral e organizador do Rally Paraná.

A 5ª edição do Rali Paraná tem patrocínio de Trilha EuroCar, Zenz Bonés, Dispauto, Mamute Off-Road, SFIchips, Barracão do Jeep, Fábrica das Cópias. Patrocínios e apoios locais da Prefeitura Municipal de Cambira, através da Secretaria de Esportes, e Câmara de Vereadores de Cambira. A supervisão é da Federação Paranaense de Automobilismo e apuração da Totem.

 

Programação Rally Paraná 2017, 2ª etapa – Cambira:

Sexta-feira, 05/05

18h00 às 22h00 – Secretaria de prova

Local: Centro de Convivência de Cambira

 

Sábado, 06/05

10h00 – Largada do primeiro carro

Local: Em frente à igreja Matriz

14h00 – Previsão de chegada do 1º carro

16h00 – Resultado oficial e cerimônia de premiação

Local: Centro de Convivência de Cambira

 

Calendário Campeonato Paranaense de Rally 4×4

 

Etapa 1 – 18 de março – Castro/PR – Rally dos Tropeiros

Etapa 2 – 06 de maio – Cambira/PR

Etapa 4 – 01 de julho – Apucarana/PR – Rally do Boné

Etapa 3 – 29 de julho – Curitiba/PR – Rally Cachorro Louco

Etapa 5 – 14 de outubro – Toledo/PR – Rally do Porco

Etapa 6 – 02 de dezembro – Curitiba/PR – Rally da Meia Noite

*Sujeito a alteração

O Rali de Cambira, 2 etapa do Rali Paraná, será disputada nos dias 5 e 6 de maio

O Rali de Cambira, 2 etapa do Rali Paraná, será disputada nos dias 5 e 6 de maio

O tempo chuvoso não incomodou os competidores e foi o tempero para deixar a trilha ainda mais emocionante. Com muita lama, trechos em reflorestamento, a diversão estava garantida no Rali dos Tropeiros, sendo a primeira das seis etapas do Rali Paraná. O evento off-road multimarcas realizado na cidade de Castro (PR), passando por Terra Nova, Conceição e Abapan. O grid foi composto por 40 veículos em quatro categorias: Máster, Graduados, Turismo e Light.

O Rali dos Tropeiros veio para ficar no calendário do Rali Paraná. “A prova atingiu todas as expectativas. O percurso foi todo em fazendas de reflorestamento. A chuva leve no dia anterior e na segunda metade da prova deixaram as trilhas lisas, com barro em algumas partes e poças d’água em outras, transformando a disputa em um grande desafio. O piloto teve bastante trabalho por que o piso ficou escorregadio e a habilidade dos navegadores também foi testada”, destacou Vanderlei Hirt, organizador do Rali Paraná.

Segundo Igor Quirrenbach Carvalho, diretor de prova, o Rali dos Tropeiros, em Castro, contou com vários elementos para apimentar o início da disputa pelo Rali Paraná. “Os cinco quilômetros de balaios logo no início da prova em uma pedreira abandonada deixaram os competidores eufóricos. No segundo trecho em reflorestamentos com piso liso e curvas de alta proporcionaram emoção pra quem estava dentro do carro. E na especial final os 26 quilômetros em linha reta e passagem por reflorestamentos, estradas estreitas, subidas e descidas deixou a trilha gostosa de pilotar”, disse.

A etapa de abertura atraiu competidores de Santa Catarina e conta pontos para o Campeonato Paranaense de Rali de Regularidade 4×4. “Estamos felizes com a presença de pilotos de navegadores de outros estados e ficamos lisonjeados por terem vindo prestigiar o nosso campeonato. Todos foram recepcionados na sexta-feira e no sábado na Chácara Basílio, foi muito divertido, com clima muito alto astral, que une as famílias em uma aventura como essa do off-road paranaense”, enfatizou Hirt.

 

OS CAMPEÕES DA ETAPA – Após cumprirem 170 quilômetros de percurso em 4 horas e 49 minutos, a dupla que somou a melhor pontuação na categoria Master (pilotos e navegadores mais experientes, com velocidades maiores) foram Roberto Ardigo/Jhonatan Ardigo, de Apucarana (PR). “A prova estava no estilo que a gente gosta! Técnica, com médias de velocidade e referências precisas. Ficamos muito contentes com o primeiro lugar, agora queremos ganhar nas próximas etapas e levar o prêmio da temporada”, comemora o piloto Roberto Ardigo.

Entre os inscritos da Graduados os vitoriosos dos desafios no melhor tempo foram Marcos Evangelista/Vinicius Gunha (Curitiba/PR), com 4 horas e 55 minutos. “A prova foi sensacional! A chuva fez com que a prova tivesse um equilíbrio entre todos os participantes”, conta Marcos.

A Turismo em 5 horas e 4 minutos de prova reservou adrenalina 4×4 entre as três especiais que formaram uma prova completa e os vencedores foram Adilson Melo e Ivan Laidens (Troller) de Curitiba/PR. Gostei muito da etapa. A cidade, a trilha, as paisagens e principalmente por levar o troféu para casa”, comenta o piloto Adilson Melo.

Na categoria Light (para quem estreia no rali de regularidade e menor velocidade), Jean Claude da Silva e Rafael Labhardt, a bordo de um Troller, conquistaram o primeiro lugar nas 5 horas e 04 minutos programados para o dia.

A segunda etapa será em Telêmaco Borba/PR, no dia 6 de maio, e terá apoio do Jeep Clube Boca de Burro para a realização do Rali do Papel.

A quinta edição do Rally Paraná tem patrocínio de Trilha EuroCar, Zenz Bonés, Dispauto, Mamute Off-Road, SFIchips, Barracão do Jeep, Fábrica das Cópias. Patrocínios e apoios locais do Jeep Clube de Castro, Prefeitura Municipal de Castro, Rádio Antena Sul, Calcário Itatinga, Calcário Calpar e Gráfica do Carlão. A supervisão é da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA) e apuração da Totem.

 

Resultados do Rali Paraná 2017 – 1ª etapa – Castro:

Categoria Master

1º) Roberto Ardigo/Jhonatan Ardigo (Apucarana/PR), Troller, 55 pontos ganhos

2º) Flávio Roberto Kath/Rafain Walendowsky (Brusque/SC), Troller, 52

3º) Hamilton Medeiros/Marcos Panstein (Jaraguá do Sul/SC), Troller, 43

4º) Sandy Roncaglio/Robson Schuinka (Curitiba-Cascavel/PR), Troller, 40

5º) Leandro Moor/Ivo Mayer (Apucarana/PR), Troller, 32

6º) Sandro Marcelo Supitz/Eduardo Ortolan (Cascavel/PR), Pajero, 28

7º) Mauri Glir Junior/Henrique Domingos Glir (Curitiba/PR), Troller, 28

8º) Ednilson Borquezani/Leandro Macedo Ferreira (Curitiba/PR), 27

9º) Otávio Enz/Allan Enz (Apucarana/PR), Troller, 11

10º) Marcelo Sapateiro/Rafael Pinto (Curitiba/PR), Troller, 0

 

Categoria Graduados

1º) Marcos Evangelista/Vinicius Gunha (Curitiba/PR), 54 pontos ganhos

2º) Leonardo Borges Menarim/Adriana Micheli (Castro/PR), 52

3º) Robson Batista/Wilson Batista (Curitiba/PR), Pajero, 37

4º) Rui Cesar Schmitz/Verner Froelich (Gaspar/SC), Troller, 36

5º) Dirceu Salla/Léo Farias Chanceller (Curitiba/PR), Troller, 35

6º) Eraldo Franzoi/Emerson Jose Zaleski (Curitiba-Cascavael/PR), 23

 

Categoria Turismo

1º) Adilson Melo/Ivan R. Laidens (Curitiba/PR), Troller, 57 pontos ganhos

2º) Wivalde Liebl/Adimar Mühlbauer (São Bento do Sul/SC), Troller, 45

3º) Marcos Latorama/André Latorama (Umuarama/PR), Troller, 42

4º) João Carlos Schuartz Júnior/Evandro Mioto (Cascavel/PR), Jimny, 35

5º) Emerson Coletti/Arthur Scotton (Curitiba/Cascavel/PR), Troller, 31

6º) Eduardo Kruger/Fabiane Kruger (Jaraguá do Sul/SC), Pajero Full, 29

7º) Carlos Roberto Weis/Marina Welter Weis (Curitiba/PR), Pajero, 29

8º) Mauricio Barkema/Lucas Antenor Bueno (Castro/PR), Pajero Full, 27

9º) Deonilson Salla/Robson Osório (Curitiba/PR), Troller, 26

10º) Alexander Mittelstedt/Artur Mittelstedt (Castro/PR), Cherokee, 21

11º) Amarildo Senke/Rodrigo Silva (S.J. dos Pinhais/PR), Troller, 16

12º) Carlos de Souza Junior/Mario Arylsom Slomeck (Curitiba/PR), Pajero, 13

 

Categoria Light

1º) Jean Claude da Silva/Rafael Labhardt (Curitiba/PR), Troller, 60 pontos ganhos

2º) Luís Alberto Scarati Júnior/Caroline Tesser (Ponta Grossa/PR), Pajero TR4, 47

3º) Geraldo H. Morsink/Edwin J. Morsink (Castro/PR), JK-Wrangler, 47

4º) Jean Bouwman/Willian Bownman (Castro/PR), 36

5º) Henrique Menarim/Ricardo Menarim (Castro/PR), Ford Ranger, 32

6º) Eduardo Bomfim Alves/Lorena Palhano da Silva (Castro/PR), Troller T4, 31

7º) Ronny Leffers/Nico Leffers (Ponta Grossa/PR), Pajero, 30

8º) Fabio Madureira/Andreia Madureira (Castro/PR), Ford Ranger, 26

A chuva deixou a trilha lisa e com poças, transformando a disputa em um grande desafio

A chuva deixou a trilha lisa e com poças, transformando a disputa em um grande desafio

marcaspr

brkart

prterra

rali5

arrancadapr402

junho 2022
S T Q Q S S D
« maio    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
2ª Etapa – Turismo 5000 – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba – 2017
2ª Etapa – Turismo – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
2ª Etapa – Marcas – 2ª Etapa Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Marcas – Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Turismo – Paranaense + Metropolitano Curitiba/Cascavel/Londrina – 2017
1ª Etapa – Turismo 5000 – Paranaense + Metropolitano Curitiba – 2017

 

Mais Vídeos Clique AQUI!